Alimentos que ajudam a diminuir a gordura localizada

Posted on Posted in Artigos, Destaques

Quem nunca se incomodou com as gordurinhas em excesso, principalmente na região abdominal? A famigerada barriguinha. Saiba que a medida desta gordura é utilizada como indicador de obesidade, pois há estreita relação entre gordura localizada nos depósitos debaixo da pele e a alimentos que ajudam a diminuir a gordura localizadagordura interna.

A obesidade é fator de risco, direto ou indireto, para outras diversas patologias, como diabetes, dislipidemias, hipertensão arterial sistêmica, doença renal crônica, doenças hepáticas, acidente vascular cerebral, doenças cardiovasculares, entre outras.

Por estes motivos a prevenção da formação dos depósitos de gordura e sua diminuição são fatores de extrema relevância para o cuidado à saúde e prevenção de doenças mais graves.

A modificação do estilo de vida, ou seja, prática regular de atividade física, abandono do tabagismo e consumo excessivo de bebidas alcoólicas e a melhora da qualidade do padrão alimentar são medidas essenciais para a prevenção e diminuição da gordura localizada.

Seguem alguns alimentos importantes e fáceis de serem consumidos no dia-a-dia:

ALIMENTOS

AÇÃO

Sardinha e linhaça

Contêm ômega-3, evita aumento e depósito dos adipócitos (células de gordura)

Óleos vegetais

Melhora o metabolismo de gorduras

Iogurtes

Contêm probióticos, para saúde intestinal e proteínas de alto valor biológico

Abacate

Rico em ômega-9 produz energia a partir de gordura

Frutas vermelhas

Melhora oxigenação dos tecidos e circulação sanguínea

Pimenta e gengibre

Poderosos termogênicos, aumentam o gasto energético

 

Outras medidas para diminuir a gordura localizada:

  • Evitar alimentos com gorduras de não-saudáveis (saturadas e trans): aumentam inflamação cardiovascular e risco para doenças crônicas, além do aumento do peso e gordura localizada;
  • Evitar alimentos hipercalóricos e com poucos benefícios nutricionais: alimentos considerados de alta densidade calórica e muito baixa densidade nutricional;
  • Evitar alimentos ricos em sódio e aditivos químicos: aumentam a produção de radicais livres, inflamação sistêmica, estresse oxidativo e risco para doenças;
  • Evitar jejum prolongado: adequando fracionamento da alimentação, com alimentos proteicos nos intervalos, o que favorece a termogênese (gasto energético);
  • Realizar exercício físico com frequência;
  • Moderação no consumo de álcool.